Quarup

by Quarup

supported by
/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
03:54
2.
3.
4.
05:41
5.
01:06
6.
7.
03:09
8.
04:35
9.
10.
11.
12.
13.
03:05

about

Um pé nos anos 1970, um mundo de possibilidades nas mãos. Produzido em um intervalo de quase dois anos, o homônimo registro de estreia da banda paulistana Quarup é um trabalho em que décadas de referências, diferentes gêneros musicais e sentimentos se cruzam de forma a revelar um disco marcado em essência pela transformação.

Livre dos exageros e fórmulas prontas de quem busca apoio no trabalho de Novos Baianos, Caetano Veloso, Os Mutantes e outros gigantes da música brasileira, sobrevive no material produzido pelo quinteto uma obra marcada pela leveza dos arranjos e versos que refletem com naturalidade o cotidiano de qualquer jovem adulto.

Entre sussurros apaixonados (Pedra Rara), personagens (Lila) e versos tecidos de forma subjetiva (Foi Isto um Homem), a banda formado por Guta Batalha (Vocais), Ione Aguiar (guitarras, violões e vocais), Beni Teixeira (piano, teclados e vocais), Marcelo Maia (baixo e vocais) e Lucas Cassoli (bateria, percussões e vocais) faz de cada uma das 13 faixas do disco um curioso experimento.

A psicodelia empoeirada de O Mensageiro, ambientações etéreas no interior de Estrela da Manhã — música que conta com a participação da cantora Ná Ozzetti —, o axé-pop de Quero Ir Pra a Bahia com Você, facilmente a canção mais pegajosa do disco. Mesmo a curtinha, Nino, com pouco mais de um minuto de duração, revela ao público uma sequência de pequenos detalhes e sobreposições instrumentais.

Na poesia do álbum, um delicado labirinto de experiências. Versos nostálgicos em Uma Amizade que Veio do Mar — “Doce criança, quando eu te perdi o tempo era um menino” —, o romantismo explícito de Lila — “Lila, cansei de desatino / Eu quero o teu destino amarrado juntinho do meu” —, significados ocultos ao fundo de O Mensageiro — “Os ecos mais secretos / Tão discretos e hesitantes / Dos sibilos escondidos em você”.

Misto de passado e presente, o trabalho que conta com masterização assinada por Arthur Joly mostra o esforço do quinteto em provar de diferentes sonoridades e influências ao longo da obra. Um constante ziguezaguear de experiências, como se cada composição lançada pela banda fosse a passagem para um ambiente completamente novo.

por Cleber Facchi

credits

released October 14, 2016

Guta Batalha: Vocais
Ione Aguiar: Guitarras, violões e vocais
Beni Teixeira: Piano, teclados e vocais
Marcelo Maia: Baixo e vocais
Lucas Cassoli: Bateria, percussões e vocais

Produzido por Quarup
Gravado em São Roque, SP - 2014/2015
Mixado por Ione Aguiar
Masterizado por Arthur Joly no estúdio Recomaster

tags

license

all rights reserved

about

Quarup São Paulo, Brazil

contact / help

Contact Quarup

Streaming and
Download help

Track Name: O Mensageiro
(Ione Aguiar)

Do fundo mais profundo da galáxia
mais distante do planeta as sentinelas podem ver

Os ecos mais secretos,
tão discretos e hesitantes
dos sibilos escondidos em você

Os anjos chegarão à tua cabeceira e então
ao teu ouvido o óbvio olvido sussurarão:
“uma coisa de cada vez,
uma coisa de cada vez”

Pois isto revelado,
do teu lado, lá do mato,
vindos vinte ou mais dervixes deitarão...

E dentro dos teus sonhos,
vão roubar os teus sapatos,
vão talhar mantras na palma da tua mão!

Os anjos chegarão à tua cabeceira e então
ao teu ouvido o óbvio olvido sussurarão:
“Guarde um pouco pro fim do mês,
guarde um pouco pro fim do mês!”
Track Name: Foi Isto Um Homem
(Ione Aguiar)

Sopra o vento
Tarde calma
Minha vida é só tua, meu amigo

Passos lentos
Fora d’alma
Posso andar pela rua, sem perigo

Sem tormento
Nem um trauma
A vontade está nua, não persigo

Um momento
Ouro ou palmas
O meu peito flutua, estou contigo
Track Name: O Pântano Do Céu
(Ione Aguiar)

Pela fresta da janela,
pela fresta da janela
a luz desenha o nome dela...

Pela fresta da janela,
pela fresta da janela
a luz desenha o nome dela...

Vem, que o sol nem se pôs
e outros sóis já vão chegar.

Vem, dois corpos já cabem bem num mesmo lugar
Vem, que as cores dos meus olhos vão mudar...

Tudo vai mudar,
que quando eu te vejo eu vejo bem mais além!

Dono de tudo que digo,
eu a tenho aqui comigo
ao soletrar,
ao soletrar

Divinamente bem vinda,
uma queda assim tão linda, pra tropeçar
pra tropeçar,
pra tropeçar,
pra tropeçar!

Vem, que o sol nem se pôs e outros sóis já vão chegar.
Vem, dois corpos já cabem bem num mesmo lugar
Vem, que as cores dos meus olhos vão mudar...

Tudo vai mudar,
que quando eu te vejo eu vejo bem mais além!

Paradoxo para ela:
somos duas paralelas
a se cruzar...

A se cruzar.
Track Name: Pedra Rara
(Ione Aguiar)

A verdade é negra e cobre a minha pele
Da árvore em que sei subir, a jóia mais rara raptei...
Dos mais altos galhos das jabuticabeiras,
teu lento e profundo olhar roubei, e agora sei que

Você não é
como eles são
Você é mais
assim...
Como eu quero ser,
como eu quero ser.

Que vaidade minha te despir sem pejo.
Seixos que pesquei no mar, para enfeitar teu colo...
Os mais lindos martins de que se tem notícia,
não houvesse tu, meu bem,
paravam de cantar, pois

Você não é
como eles são
Você é mais
assim...
Como eu quero ser,
como eu quero ser.
Track Name: Nino
(Marcelo Maia)

Instrumental
Track Name: Uma Amizade Que Veio do Mar
(Ione Aguiar / Beni Teixeira)

Dorme serena pelas entrelinhas dos meus poemas
Doce criança, quando eu te perdi o tempo era um menino
e as espécies cambrianas se exibiam pelo mar

Ainda te sinto sussurrando ao pé do meu labirinto
minha lembrança materializada sobre as águas claras
Sem pensar lhe toco o rosto e ele não me pertence mais

Mal reconheço, do avesso, o bordado que fiei.
Laço por laço, no pano do tempo em que fui rei!
Pedras dos pórticos do lugarejo de onde eu vim
Não, não se percam, não desapareçam
Só me esperem para o fim, o fim, o fim, o fim, o fim....
Track Name: Baleiro
(Beni Teixeira)

Bela conhecida, é um prazer
te escrever.
Ponho nessa folha o que à
boca ausenta-se

Sabe o teu sorriso?
Me cravou a alma.
Dançam nos teus cílios todos
meus anseios.

Vem e dilacera os lábios meus
Faz sumir o erro que se deu
E deixa teu depois pra agora
A fuga da razão sem hora

Lê meus pensamentos sem pudor
Fica e se mistura à minha cor
Que eu faço meu o teu silêncio
Roteiro que rodeia o tédio

Trato impertinente,sensatez
não é meu mal.
Dilacera a agenda,
Ri do meu Das Kapital.
Track Name: Lila
(Ione Aguiar)

Pra quem contar que existe um tanto d’água no ar,
que a vida teve início no mar
que tem três pontas o meu chapéu?
Histórias sobre a Terra e o céu
não valem quando estão no papel.

A vida vai...
Os dias se reprisam, iguais.
Os dias se repetem, aliás
um dia sobre o outro recai
E a cada dia um dia se esvai,
e eu me esvazio cada vez mais

Lila, só Deus sabe o que eu passo,
eu amo cada passo que você ainda não deu

Lila, cansei de desatino,
eu quero o teu destino amarrado juntinho do meu

Lila, tu foste já nascida,
agora minha vida era um sonho e nem eu era eu

Lila, só Deus sabe o que eu passo,
eu amo cada passo que você ainda não deu

Lila, cansei de desatino,
eu quero o teu destino amarrado juntinho do meu
Track Name: Estrela Da Manhã (part. Ná Ozzetti)
(Ione Aguiar/Beni Teixeira)

Duas da manhã,
lua que míngua
suo frio

Uivo no vazio
ouço uma voz a sussurrar...

Vêm me visitar
Constantino, Hitler e Babar.
Salvador Dalí. Tarsila me chama,
Emília ri...

Quando dou por mim, já amanheceu,
não sei onde estou, não sei como vim parar aqui!

Haloperidol, risperidona e orações
Vago quase são,
no lapso entre o sonho e a razão

Voltam a gritar!
Ah, valha-me Deus - isso é real?
Vultos sobem ao céu,
pessoas planejam me matar

Quando dou por mim, já amanheceu,
não sei onde estou, não sei como vim parar aqui!

Que restou de mim?
Delírios em grego e em latim.
Ossos de marfim
nos trilhos do trem.
Abel e Caim
me levam para o fim...
Track Name: Quero Ir Pra a Bahia Com Você
(Ione Aguiar)

Sei que eu não sou lá aquelas coisas pra você.
E que antes de mim tem outros mil
a te querer.
Mas eu vou além
Você vai ver, carinhos como eu tenho, ninguém tem

Quero ir pra a Bahia com você,
entre tuas pernas repousar
Na Bahia com você
e dormir ao som do mar
Na Bahia com você
E com beijos te acordar
Na Bahia com você

Água clara, tarde calma e um pôr do sol pra ver.
Num porta-retrato eu e você...
Você e eu: que lindo casal!
Vamos fazer dessa vida um doce carnaval!

Se tem tudo bem, mas se não tem, vivemos sem
É que trabalhar não me faz bem.
Pra que perder tempo de canção?
Melhor viver com a cara, a coragem e o coração.
Track Name: O Dia Em Que Tudo Parou
(Beni Teixeira / Ione Aguiar)

Fechou o porta-malas com vigor
E então, soltou o breque devagar...
Saiu às sete horas da manhã

Partiu em direção ao litoral,
ligou no noticiário matinal...
Errou o acesso para a Marginal.

E aquilo que era simples lentidão
parece, contra a lógica e a razão,
o povo se apertando no vagão!

Como essa vida teima em ser cruel!
A gente só trabalha pra ganhar algum papel!
E é por o pé na estrada para ver
que todo mundo teve a mesma ideia que você!

A vida por aqui vai devagar.
Tem quinze dias que este carro não sai do lugar!
Se ninguém mais consegue trabalhar...
O congestionamento é uma greve popular

Passa um dia, dois dias, agora são três!
Dessa vez,
foi se um mês,
mais um mês...
Track Name: Três da Tarde
(Ione Aguiar)

Dois varais cobertos de sonhos a secar
e a gaveta cheia de botas cafonas
Mesmo essa guitarra de três mil reais
só sabe tocar notas convencionais

Três da tarde, sinto o cheiro da saudade
A chuva cai na calçada, a chuva escorre na escada
Sem alarde, recolho com facilidade
Roupas de pano puído do que eu podia ter sido
Track Name: Homem-rã
(Ione Aguiar)

Eu vou de déu em déu e nenhuma fronteira
Me impede passagem pra outro lugar
Vou de mar em mar

Se às vezes rede engancha e me traz à tona
Eu me perco, sem jeito, no seco do ar
No oco vazio do ar

Eu sou homem de mar
Denso e escuro sonar de sons
Sou esquecido demais,
amanhã o mesmo é novo, de novo, de novo, de novo...

Homem-rã,
Diz qual bicho te ensinou a nadar

Bicho nada,
O meu mestre é o balanço do mar

Homem-rã,
Pra que Norte você vai navegar?

Mas que Norte?
Vou pra onde a corrente levar,
Vou com as ondas do mar

Auras multicolores transcendem até pouco abaixo da superfície
e absorvidas no oblívio abissal do profundo buraco do mundo:
multiversal atômico caos medular e primordial